Rogério da Silva



Starting from drawing techniques, the process denounces the traditional perceptions of photography. By exploring characters, events or empty interior spaces from archival images, I transport the expression of photographic memory to drawing. So I create a new memory from that expression.

      About


︎︎︎
DÉJEUNER SUR L`HERBE
Drawing 2021 


Déjeuner sur l´herbe,  50 x 65 cm, pastel and rubber on paper.


Déjeuner sur l`herbe
is a drawing constructed from an image in negative which aims to evoke photographic images according to Henry Fox Talbot(1). The drawing depicts the moment when a group of people is enjoying a rest day in a rural environment. Although the drawing is presented as a negative and, therefore, difficult to understand visually for the observer, it allows itself to be revealed in its true essence. Thus, it is proposed to the public to interact in this change:


To view the positive of the drawing, use your mobile phone to read the QR Code.




(1) Converting the negative of an image into an image in positive, chemically stabilizing it on a sheet of paper, was the result of experiments carried out from 1834 onwards by the English scientist Henry Fox Talbot. The invention of the photographic process by contact and the stabilization of the image on salt paper, which he named calotype (talbotype), allowed the images obtained through the action of light on a sensitive paper to appear as if they were "drawn by the hand of Nature” - as referred by Talbot in his book The Pencil of Nature (1844–1846).




DÉJEUNER SUR L`HERBE

Déjeuner sur l`herbe é um desenho construído a partir de uma imagem em negativo que se propõe evocar as imagens fotográficas captadas  por Henry Fox Talbot(1). O desenho retrata o momento em que um grupo de pessoas está a fruir de um dia de descanso num ambiente campestre. Embora o desenho seja apresentado como um negativo e, por isso, de difícil entendimento visual para quem o observa pelo facto de se afastar da percepção que temos do realidade que nos envolve, ele permite-se também a ser revelado na sua verdadeira essência. Assim, é proposto ao público para que interaja nessa mudança:


Para visualizar o positivo do desenho, usar o telemóvel para leitura do QR Code.





(1) Converter o negativo de uma imagem numa imagem em positivo estabilizando-a quimicamente numa folha de papel, foi o resultado das experiências realizadas a partir de 1834 pelo cientista inglês Henry Fox Talbot. A invenção do processo fotográfico por contacto e a estabilização da imagem em papel salgado, a que deu o nome de calotipo (talbotipo), permitiu que as imagens obtidas mediante a acção da luz sobre um papel sensível, surgissem como se fossem “desenhadas pela mão da Natureza” - como referido por Talbot no seu livro O Lápis da Natureza (1844–1846).




Rogério da Silva © 2022